quarta-feira, 24 de abril de 2013

Shadowsphere

Pagina oficial:https://www.facebook.com/Shadowsphere.Metal
O Shadowsphere teve sua origem na região do Seixal em Portugal em outubro de 2000 com os
guitarristas Luis Goulão ( ex-Rebelion ) e Hugo Fernandes ( ex-Raw e Dark Saga ). Com algumas mudanças o line up atual da banda é o seguinte: Luis Goulão - guitarra, André Silva - bateria, Rui Neves - baixo, Paulo Gonçalves - vocais e completando a banda com Filipe Souza - guitarra, sendo adicionado a formação após a gravação deste álbum DarkLands. O som é para martelar a cabeça, um death metal melódico sueco que traz influências de Death, In Flames, Dark Tranquility e Iron Maiden.  Em 2001 a banda lança o seu primeiro demo Death and Dreaming. Em 2002, Paulo Gonçalves assume os vocais e Rui Neves assume o baixo. Assim a banda vai ao Floyd Estudio com o produtor Nuno Loureiro e editam e adicionam mais uma faixa ao demo. Em meados de 2003 a banda chegou ao excelente primeiro full lenght que é este álbum Dark Lands.
Falando um pouco das músicas de Dark Lands temos a paulada que abre o cd New Sky - rápida, pesada com a voz gutural e solos matadores. Forever - segue a linha, porém com mais peso na bateria. Stir of Echoes - continua a  destruição, mas apresenta um solo da baixo. Damnation - a maior e mais sombria faixa do álbum. What Dreams May Come - mais outro petardo pesado.
Atente seus ouvidos para a seqüência Into Death and Dreaming ( Tales of Scarlet Passion ) : uma parte conceitual sobre vampiros ( inspirada no filme Drácula de Bram Stoker - filme de Francis Ford Coppola ) que temos nas faixas Nosferatu ( Wolf of Christendom ), Into The Lungs of Hell - super gutural, ... Of Passion and Pain - uma instrumental " mais calma " , At Metal Graves, Carfax in Flames - pesadaça com uma percussão matadora, Hunter´s Prelude - ainda mais pesada que a anterior com solos de guitarras melódicos criando o clima para The Evercasting Dream que é uma porrada sonora.
Para fechar o excelente álbum Dark Lands  com o que ainda resta de pescoço para sacudir, temos Love Never Dies num clima medieval como se o vampiro tivesse sido derrotado.

Playlist

Sem comentários:

Publicar um comentário